Melhorando o café da sua cafeteira elétrica

Você usa cafeteira elétrica? Eu já tive o hábito, mas sou fã do sabor do café, e hoje aqui em casa só sai café produzido à moda antiga, com água fervida no fogão (e filtros descartáveis). Só que durante algum tempo fomos vítimas diárias de uma cafeteira elétrica, e acabamos nos acostumando a uma realidade que é a de muitos usuários deste dispositivo perverso: o primeiro café do dia (justamente o mais importante) nunca saía com a mesma qualidade dos demais.

E o pior é que quem só faz café uma vez por dia pode até mesmo levar anos consumindo um produto de qualidade bastante inferior ao potencial do seu aparelho, sem perceber nem descobrir. Mas é para isso que o Efetividade.net está aqui, e vem em seu resgate com a dica que pode resolver a questão.

No nosso caso, doar a cafeteira a quem precisava dela, e aí adotar o café à moda antiga, resolveu completamente o problema do café da manhã da casa. Mas há casos - como em copas de escritórios, por exemplo - em que a cafeteira elétrica é a melhor alternativa disponível, e neste caso a dica que veio da Newsweek via Lifehacker pode significar um enorme salto de qualidade na sua dose diária de cafeína.

Efetividade no café de cafeteira

E a dica é muito simples: o primeiro café do dia não sai com a mesma qualidade dos demais porque -- exceto nas melhores cafeteiras do mercado (não basta apenas ser de "marca boa"!) -- a capacidade térmica da cafeteira não é suficiente para garantir, no começo da operação, que a água passe por todo o processo na temperatura adequada. Ela começa o ciclo, ainda no reservatório de água pura, na temperatura certa, mas esfria no caminho, e isso acaba prejudicando bastante a qualidade da solução que pinga na jarra refratária.


Uma cafeteira italiana (moka) também produz uma alternativa saborosa

Mas resolver isso é simples, e é algo que muitas pessoas experientes já fazem, abrindo mão de um pouco da pressa e da eficiência energética do aparelho em nome de mais qualidade para o produto final: basta encher o reservatório com um pouco mais de água do que o habitual e colocar a cafeteira para fazer um ciclo completo sem colocar o filtro (nem o pó de café, naturalmente). Quando acabar, esvazie a água quente da jarra refratária diretamente dentro do reservatório de novo, e aí comece outro ciclo - dessa vez com filtro e pó de café.

Com a temperatura uniforme, a infusão também vai ganhar qualidade, e o produto final que você beberá estará mais próximo do sabor esperado - desde que você o tome logo, e não o deixe ali sobre a chapa por um longo período.

O mesmo efeito pode ser alcançado aquecendo a água antes em uma chaleira ou em alguma outra fonte de calor mais rápida e eficiente, mas eventualmente o grau de esforço (e a multiplicação de aparelhos que precisarão ser limpos depois) deixarão de compensar, e você vai acabar percebendo que vale mais a pena recorrer a outro método - foi o que aconteceu aqui em casa.

Ou você vai se resignar e tomar aquela infusão semelhante a café que a cafeteira elétrica libera ao final de sua operação inicial a frio - que se não é o melhor que ela pode fazer, também não é tão ruim a ponto de ser desprezada por quem não tem estes minutos a mais para gastar.

E se tudo o mais falhar, você sempre pode considerar a possibilidade de tomar o café na padaria da esquina do trabalho até chegar o dia em que poderá comprar a sua própria máquina de café espresso ;-)

Comentar

Comentários arquivados