Empregos temporários e estágios: como ser efetivado

Um trabalho temporário ou estágio podem ser grandes oportunidades para garantir uma vaga de emprego definitiva.

Mas para ser efetivado no emprego você precisa se destacar positivamente desde o começo. Veremos a seguir como conquistar vagas de trabalho a partir de uma boa experiência com empregos temporários.

A maior incidência de oportunidades e vagas de trabalho temporário no Brasil costuma ocorrer no período de final de ano, com o aquecimento das vendas de Natal ao mesmo tempo em que surge o pico do turismo. O período de contratação já começou, e costuma prosseguir até a primeira quinzena de dezembro.


O emprego desejado pode não estar tão longe assim.

Já vimos no artigo anterior onde estão estas vagas de trabalho, mas se você conseguiu garantir uma delas, há algo mais que você deve querer saber: como ser efetivado a partir de uma vaga de trabalho temporário ou de estágio.

Embora ninguém nunca possa se comprometer a nada neste campo, o índice de efetivação varia de 15% a 37%, de acordo com agências de recrutamento e entidades ligadas ao setor de trabalhadores temporários.

Como vimos no artigo "Vagas de emprego: trabalho temporário é alternativa para os próximos meses", a Associação Brasileira das Empresas de Serviços Terceirizáveis e de Trabalho Temporário (Asserttem) prevê a abertura de 113 mil vagas temporárias no país - número 8% maior em relação a 2007. Isso significa que não vão faltar chances de efetivação no emprego, e que pode valer a pena se aplicar um pouco mais para se destacar e causar aquela impressão positiva.

Empregos temporários são um investimento a médio prazo

Vale lembrar que a efetivação nem sempre é imediata - o mais comum é o contrato temporário acabar e todos os trabalhadores serem desligados.

Mas quando abrem as próximas vagas, o empregador sempre prefere (com razão) selecionar primeiro entre aquelas pessoas que já trabalharam lá, conhecem a empresa e são lembrados pelo seu desempenho e boa integração.

Ou seja: não necessariamente vai haver vaga no dia do término do seu contrato. Mas sua ficha fica no banco de talentos, e quando surgir uma vaga você vai estar com grande vantagem a seu favor.

Seja visto como quer ser lembrado

Em muitos casos, as contratações temporárias são para funções que não exigem grande experiência ou treinamento, e assim são grandes oportunidades para quem busca um primeiro emprego ou um retorno ao mercado de trabalho. Mesmo assim, você deve procurar se destacar primeiramente pela sua capacidade e pela qualidade do trabalho que realiza.

Mas quando a tarefa é simples e padronizada, muitas vezes isso não basta, e aí torna-se essencial ser reconhecido pela atitude profissional, demonstrando na prática aqueles comportamentos que vemos em todo cabeçalho de currículo, tais como:

  • respeito ao horário de trabalho
  • interesse pelas tarefas e pela organização
  • espírito de equipe
  • iniciativa e força de vontade
  • capacidade de liderança
  • atenção
  • boa comunicação

Se você buscar se comportar como se o emprego fosse permanente, certamente já vai se destacar um pouco em relação às pessoas que deixam de se dedicar ao máximo por considerar que daqui a 2 ou 3 meses estará tudo acabado.

Trabalho temporário não é "bico"

E se você lembrar que o alvo não é ser efetivado imediatamente após o término do contrato, e sim ser chamado quando houver a abertura de futuras vagas, fica mais fácil se motivar para efetivamente marcar presença e se destacar.

Em artigo publicado pelo G1, a consultora Regina Ordonha, especializada na matéria, dá a dica:

Regina Ordonha, coordenadora de recrutamento e seleção da consultoria de recursos humanos Manpower, diz que o empregado nunca deve encarar o trabalho temporário como "bico", pois existe uma possibilidade muito grande de o provisório se tornar permanente.

De acordo com Regina, as situações que podem recolocar o funcionário temporário na empresa são o surgimento de uma nova vaga, cobertura de férias ou licença maternidade ou até ser efetivado no lugar de outro funcionário. “É comum as empresas trocarem um funcionário antigo por aquele que se destacou como temporário”, diz. “Por isso é importante ter iniciativa, mostrar interesse, força de vontade, ser pontual, não faltar ao trabalho”, alerta.

Segundo ela, o funcionário deve se familiarizar com a empresa, cumprir o horário rigorosamente, usar roupa discreta, e sempre manter uma postura mais alinhada. “Ele precisa deixar sua marca na empresa, para o patrão lembrar da carinha dele, pois muitas vezes as vagas efetivas não aparecem logo em seguida ao fim do contrato temporário, mas bem depois. E aí ele será lembrado para uma futura vaga”, aconselha.

A consultora afirma que o empregado deve se interessar pela empresa, ser prestativo, cumprir com o que foi solicitado. “Na primeira oportunidade o patrão vai se lembrar e vai chamar aquele que mais se destacou. As empresas realmente chamam os que fizeram um bom trabalho”, garante.

Segundo ela, a recolocação dos temporários costuma ser grande. Na Manpower, no ano passado, o índice de efetivação entre os temporários que foram selecionados pela consultoria foi de 30%.

E não é só lá. Na Gelre, conhecida empresa de recursos humanos (na acepção clássica do termo), de 15% a 20% dos temporários costumam ser efetivados, seja logo após o término do contrato, seja quando surge uma vaga oportunamente.

Questão de atitude - e de humor

Na mesma matéria do G1 encontramos mais uma dica interessante:

Vander Morales, diretor de comunicação da Associação Brasileira das Empresas de Serviços Terceirizáveis e de Trabalho Temporário (Asserttem), acha essencial que o temporário tenha pró-atividade para resolver os problemas durante as tarefas, ter vontade de aprender, bom humor e simpatia, além de ser atencioso com os clientes – já que boa parte das vagas temporárias envolve atendimento ao público.

“O temporário não deve escolher tarefas, deve trabalhar em equipe”.

Atenção aos seus direitos

O mesmo Morales lembra que os temporários também têm benefícios da Consolidação das Leis do Trabalho, como jornada de oito horas, repouso semanal remunerado, férias proporcionais, 13º salário, proteção previdenciária e vale-transporte. As diferenças incluem não ter direito a aviso prévio nem à multa do FGTS, por se tratar de contrato com prazo determinado.

“A condição de trabalhador temporário tem que ser anotada na carteira profissional. No contrato de trabalho devem estar especificados a função, o salário, horário de trabalho e data de admissão. Isso comprova que ele desempenhou seu trabalho e com esse documento poderá acionar a Justiça e reclamar seus direitos em caso de necessidade”, complementa Morales.

E na prática?

Eu já estive nos 2 lados desta moeda. Já fui efetivado após desempenhar trabalho temporário, e já tive a feliz oportunidade de efetivar funcionários após eles prestarem serviço temporário - tanto de forma imediata, tanto com intervalo e uso de banco de talentos.

Sabe o que havia em comum entre todos estes casos? A lista de características listadas acima, por mim e pelos consultores. Atitude vencedora, comprometimento, posicionamento de quem considera definitiva a tarefa que está desempenhando sob um contrato temporário.

Você também pode. Motive-se e consiga!

Leia também:

Comentar

Comentários arquivados