Como ganhar dinheiro

Como ganhar dinheiro da forma mais segura nas finanças pessoais e domésticas: gastando melhor, poupando, e investindo bem.

Existem muitas formas de ganhar dinheiro, enriquecer, ou garantir a segurança e o conforto da família. Infelizmente, como podemos ver nos comentários do artigo sobre as armadilhas escondidas em ofertas de trabalho em casa, muita gente tem a expectativa de ganhar dinheiro fácil de forma honesta, e acaba sendo ludibriado, ou pelo menos perdendo seu tempo.


De tostão em tostão, se chega ao milhão

Mas para de fato ficar rico de forma ética e a partir do seu próprio trabalho, o segredo na verdade pode ser descrito de forma muito simples: você precisa continuamente receber mais do que gasta, poupando e investindo este excedente de forma racional.

Mas só porque é simples de ser descrito, não necessariamente significa que é fácil de atingir, e de fato não costuma ser. Não acredito em receitas fáceis para ganhar dinheiro, e de modo geral as que eu tenho visto servem exclusivamente para uma finalidade: enriquecer o autor da receita, que a vende a todos os interessados que conseguir encontrar.

Mesmo assim, pessoas descobrem o caminho da riqueza todos os dias, e muito embora às vezes possa parecer que há sorte ou destino envolvidos, de modo geral as pessoas que enriquecem sozinhas o fazem também à base de bastante esforço e razoável aplicação de bom senso.

Portanto, para não oferecer uma receita na qual eu mesmo não acredito, resolvi seguir o modelo Power Trio e apresentar 3 referências a materiais interessantes para quem está pensando em se esforçar e se organizar para ganhar dinheiro.

A primeira parte da receita para enriquecer, como vimos acima, é ter o famoso fluxo de caixa positivo: receber mais do que gasta. A forma de obter seu faturamento (a parte do receber) varia de acordo com cada caso, e a maioria das pessoas não exerce muito controle sobre ela, exceto no que di respeito a aumentar sua empregabilidade ou o seu potencial.

Mas é na parte do gastar que podemos exercer mais controle, e aqui eu quero indicar o artigo " 30 Easy Ways to Save Money (and No, you are not doing them all!)" - em português, "30 maneiras fáceis de economizar dinheiro, e não, você não está fazendo todas elas".

Algumas das 30 são bem evidentes e conhecidas, embora muita gente que precisaria economizar não as pratique:

  • levar o almoço para o trabalho 2 dias por semana, evitando gastar no restaurante ou comer mal
  • só ir no supermercado levando uma lista de compras, evitando as compras por impulso
  • pagar as contas na data certa evitando multas
  • comprar produtos genéricos e no atacado sempre que possível
  • comparar preços e só comprar no local mais vantajoso

Mas outras são menos comuns, e tratam especialmente de substituir um item custoso por outro mais econômico que possa cumprir a mesma finalidade, embora haja outros temas mencionados. Alguns exemplos:

  • Além de reduzir o uso de telefones, trocar o fixo da casa pelos celulares que a família já tem (exige fazer boas contas para ver se vale a pena)
  • Conhecer as taxas cobradas pelo banco e operadores de cartão e evitá-las - ou negociar com o gerente, e mudar de banco se tudo o mais falhar.
  • Faça manutenção preventiva regularmente no carro
  • Planeje a compra de passagens, reserva de hospedagem com antecedência e outras despesas de férias com antecedência, para aproveitar promoções e descontos.

Claro que "gastar menos" nem sempre precisa significar "gastar absolutamente o mínimo possível". Você pode ser frugal sem se privar do que for importante para a sua vida, tudo depende de ser coerente com os seus próprios objetivos.

O vizinho Navarro, do blog Dinheirama - um dos melhores blogs nacionais, na minha opinião - publicou recentemente um artigo que complementa as dicas acima com algumas bem adaptadas ao mercado nacional: "Como se tornar um consumidor mais inteligente". Entre as dicas que ele detalha, estão:

  • Preferir pagar à vista, mesmo que signifique primeiro poupar para ter o dinheiro
  • Não ter vergonha de pedir para falar com o gerente se o vendedor não oferecer um desconto que você considere suficiente para fechar o negócio
  • Controlar e registrar o seu orçamento doméstico (leia também: Fluxo de caixa: instrumento essencial para profissionais independentes)
  • Prestar atenção nos contratos e documentos que assina, saiba com o que você está se comprometendo. Já recusei muitas transações porque a empresa queria impor um contrato que "é padrão e não pode ser mudado". O contrato é entre as duas partes, se eu discordo dele e a empresa não topa mudá-lo, a solução é não assinar, mesmo que signifique abrir mão da transação.

Com as duas referências acima, se você aplicar bem, poderá ganhar dinheiro de uma das formas mais honestas: deixando de desperdiçá-lo ou de gastar mal. Mas isto não basta: a não ser que você tenha um grande encanamento de dinheiro jorrando para dentro do seu fluxo de caixa, ainda é preciso investi-lo bem, e não apenas poupá-lo.

Se você tiver espírito empreendedor, certamente investirá em suas próprias iniciativas, sabendo o risco que corre. Mas a maioria das pessoas opta pelo mercado financeiro, e parte considerável delas investe mal, deixando de maximizar o resultado, mesmo quando o objetivo é a redução do risco, e não o aumento do retorno.

Sei o suficiente sobre mercados de capitais para não deixar de recomendar que você consulte mais de um profissional habilitado de instituições que você confie, antes de tomar suas decisões de investimento. Basear-se apenas nas recomendações do gerente do banco é comum mas não é a alternativa mais segura, nem a que rende mais. Investir diretamente também não é o mais seguro, exceto para quem souber muito bem o que está fazendo - e mesmo estes muitas vezes acabam se estrepando sozinhos, especialmente quando colocam muitos ovos na mesma cesta.

Para entender um pouco melhor as opções de investimento disponíveis no mercado financeiro nacional, assista ao vídeo abaixo. São menos de 9 minutos, e a produção é da CVM, comissão responsável por assegurar o funcionamento eficiente e regular dos mercados de bolsa e de balcão. O objetivo é informar o investidor individual sobre suas opções e seus direitos.

Claro que assistir ao vídeo acima não é suficiente para você decidir se sua melhor opção são os fundos, as ações ou os títulos, mas espero que tenha sido suficiente para você perceber que o investidor individual pode ter bem mais opções do que aquelas que o gerente do banco lhe oferece usualmente, e que há instituições financeiras sólidas que podem lhe atender. O recado final é importante: com o rendimento vem o risco! Mas isso ocorre nas opções que o seu gerente de banco lhe dá, também. Avalie com critério.

A maior parte das pessoas pode poupar alguns pontos percentuais a mais dos seus rendimentos. Parte considerável delas não poupa parte nenhuma, mesmo podendo. Entre as que poupam, muitas investem sem critério, rendendo menos do que poderiam receber, ou correndo mais riscos do que o necessário. Não seja como elas! E depois me dê 2% ;-)

Comentar

Comentários arquivados