Ergonomia: Tendinite nunca mais - dicas para sua mesa de trabalho, parte 1

Ergonomia é o estudo científico das relações entre homem e máquina, visando a uma segurança e eficiência ideais no modo como um e outra interagem. Ela tem relação direta com objetivos como a produtividade, eficiência, conforto no local de trabalho e prevenção de doenças ocupacionais como a LER/DORT (Lesão por Esforço Repetitivo ou Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho).

Neste último contexto, é muito importante lembrar que o posicionamento ergonômico do ambiente de trabalho não pode ser a única medida na prevenção destes males ocupacionais: é preciso ter disciplina, fazer pausas e exercícios - veja o artigo anterior "Workrave: um programa que ajuda a impedir a tendinite" para saber mais, e procure um profissional habilitado para saber que outras medidas devem ser aplicadas ao seu caso.


A mesa onde o Efetividade.net é escrito

Ainda assim, as questões da ergonomia do ambiente de trabalho imediato (a mesa ou estação de trabalho) são parte essencial deste esforço, e desempenham papel importantíssimo no conforto e produtividade nas atividades.

Nesta série que inicia hoje com as 5 dicas abaixo, veremos um conjunto de dicas que podem ser aplicados ao ambiente de trabalho de quem opera com computadores, seja em empresas ou nas atividades domésticas. Não as aplique incondicionalmente: verifique quais podem ser adotadas no seu caso, e procure adaptá-las à sua realidade - de preferência com a ajuda de um profissional habilitado.

Leia também: 7 dicas para o escritório doméstico ideal - das cadeiras ao cartão de visitas!

Ergonomia: 5 dicas essenciais

Geralmente os textos de ergonomia começam com as informações sobre posicionamento e postura: ângulos, apoios, etc. Resolvi fazer diferente, e esta primeira parte de nossa série tratará de dicas mais específicas, deixando as gerais (e não menos importantes) para um capítulo futuro.

  1. Tenha espaço: sua área de trabalho deve ter espaço suficiente para você e para os seus documentos e outros objetos de trabalho. Nada de trabalhar com as pernas pressionadas contra o tampo, o apoio ou o fundo da mesa, nem de se contorcer ou dar voltas para entrar ou mudar de posição, e muito menos de malabarismos para "fazer caber" todos os seus instrumentos de trabalho sobre a mesa.
  2. Teclado e mouse: se você ainda não sabe, aprenda a digitar como profissional, pois as técnicas herdadas da datilografia otimizam os movimentos. Posicione seu teclado em uma altura confortável -geralmente se recomenda que o seu cotovelo fique dobrado em ângulo reto, e o punho neutro ("reto"), portanto o teclado deve estar pouco abaixo da altura do cotovelo. Mesa com altura e posição reguláveis para o teclado é um luxo que você deve procurar ter, assim como teclados com posicionamento e distribuição de teclas que considerem a ergonomia. O mouse deve estar apoiado na mesma superfície do teclado, para reduzir a tração necessária para movimentar o braço até ele. Use as configurações do sistema operacional para obter conforto na movimentação do mouse. Se puder, experimente o uso de trackballs ou trackpads como substitutos do mouse.
  3. Temperatura: Em escritórios onde trabalham várias pessoas e há ar condicionado, as discussões sobre a regulagem dele são constantes. O melhor é definir uma temperatura padrão. No Brasil, costuma-se adotar como temperatura ideal para ambientes refrigerados no verão o intervalo entre 24 e 26 graus, e no inverno (quando há aquecimento) 20 a 22 graus. Façam uma vaquinha, comprem um termômetro e resolvam a questão de forma definitiva!
  4. Monitor: Posicione seu monitor entre 45cm e 70cm de distância em relação a seus olhos, nunca acima da linha de visão quando confortavelmente sentado com boa postura. Procure ter um suporte de monitor que permita reconfiguração fácil de ângulo e altura sempre que necessário, e lembre-se de fazer pausas, piscando intencionalmente e olhando para objetos a mais de 6m de distância, regularmente. Posicione o monitor de forma a remover a incidência de reflexos visíveis de janelas e lâmpadas, e regule o tamanho das letras e controles de forma a enxergá-los sem esforço.
  5. Notebooks: A conveniência de usar o notebook sobre as mais variadas superfícies (incluindo o seu colo) pode e deve ser aproveitada sempre que necessário. Mas se você o usa como instrumento de trabalho diário, o melhor é colocá-lo sobre a mesa e tratá-lo como um computador qualquer, preferencialmente providenciando um teclado e mouse externos, para poder posicioná-los de forma independente da tela, preservando assim as alturas e distâncias corretas.

Como você organiza seu espaço de trabalho, considerando os 5 aspectos acima? Compartilhe suas dicas com os demais leitores, usando os comentários!

Comentar

Comentários arquivados